seguro para bitcoins e outras criptomoedas

Seguro para Criptomoedas já é uma realidade

Seguro para Criptomoedas já é uma realidade

As criptomoedas ganharam mais segurança, grandes seguradoras como Allianz, AIG, Chubb, XL(AXA) e Mitsui Sumitomo passaram a oferecer cobertura para as criptomoedas.

De acordo com a Blooberg este ainda é um mercado sombrio. As seguradoras pouco falam sobre o assunto e também não há informações nos sites.

Mas isso se dá por ser um mercado pouco conhecido, com alto risco e ainda pouca receita, as seguradoras estão sendo cautelosas ao analisar os riscos e falar sobre o assunto.

Em 2018 foram mais de 700 milhões de criptomoedas hackeadas; somente da Coincheck foram 500 milhões.

As taxas também não são nada atrativas podendo chegar a 5% dos ativos a serem segurados, o que para uma startup pode ser inviável sua contratação.

Oque dizem as Seguradoras?

Christian Weishuber, porta-voz da Allianz, disse:
O seguro para o armazenamento de criptomoedas será uma grande oportunidade, os ativos digitais estão se tornando mais relevantes, importantes e predominantes na economia real e estamos explorando as opções de produtos e coberturas nessa área.”

A seguradora Allianz passou a oferecer no ano passado o seguro individual para os investidores de criptomoedas, sendo a pioneira e acredita no crescimento desse mercado.

A XL disse que está “tomando cuidado ao analisar esses riscos e analisando-os caso a caso“, sem entrar em detalhes.

A Chubb disse em um comunicado que não busca a subscrição de seguros para “trocas de criptomoedas ou carteiras”, mas se recusou a fornecer detalhes sobre se oferece cobertura para outros tipos de cripto-empreendimentos.

AIG não forneceu detalhes.

A Mitsui Sumitomo já oferece o seguro desde 2016 no Japão e domina esse mercado. De acordo com a Medium a cobertura total do roubo do plano varia de dez milhões de ienes (US $ 88.500) até um bilhão de ienes (US $ 8,85 milhões). Ele também cobre a perda de ameaças internas e externas, incluindo roubo de funcionários, erros, ataques cibernéticos e outros acessos não autorizados.

Além do valor de recuperação, a política é fornecida com uma variedade de serviços de prevenção e controle de danos. “Para evitar danos causados por ataques cibernéticos, treinamento direcionado por e-mail e risco de vazamento de informações“, declara o anúncio do plano,fornecemos serviços de gestão de risco cibernético, como diagnóstico de segurança e lista de verificação para funcionários”.

O Seguro para Criptomoedas no Brasil

Apesar do país possuir algumas Exchanges, ainda não sabemos quando teremos coberturas para criptomoedas, mas tende a demorar a chegar devido à falta de regulamentação.

A apólice cyber é uma solução para as Exchanges porém não cobre o roubo das criptomoedas, mas apenas as despesas para restabelecer sua operação e se defender juridicamente.

A CHUBB Seguradora já oferece no exterior apólice de Cyber ERM (Cyber Enterprise Risk Managment) cobrindo alguns problemas de criptomoedas.

No Brasil a Chubb oferece a apólice de seguro cibernético mas não ampara criptomoedas, acreditamos que será a primeira seguradora a abranger alguma cobertura para as criptomoedas.

Veja Também

Risco Cibernético uma ameaça constante para as empresas veja como se proteger.

Possuir uma gestão de risco efetiva traz diversos benefícios.

Regulamentação

Já existe um anteprojeto desde de 2015 PL 2303/2015, mas foi arquivado em 31 de Janeiro de 2019, podendo ser reaberto em até seis meses.

A Receita Federal do Brasil solicitou histórico de transações para uma das principais exchanges do país, o que pode ser um início de fiscalização; já o Banco Central e CVM ainda analisam para criarem regras para as criptomoedas, mas acreditamos que não é algo que eles querem.

A Receita por sua vez já pede que os investidores informe os ganhos em sua declaração de Imposto de Renda para abocanhar o imposto.

O que será do mercado de seguros para criptomoedas?

Vemos um mercado muito promissor, muitas startups de criptomoedas buscam por segurança porém ainda um pouco distante devido ao alto custo.

Infelizmente não sabemos quando teremos disponível aqui no Brasil, uma das maneira de se proteger é ter uma carteira offline, fazer backups ou ter criptomoedas impressas e bem guardadas.

Vale alertar que se você possui uma carteira online procure sempre ao fazer transações verificar se a página é segura, muitos roubos de criptomoedas acontecem por Phishing.

Estamos acompanhando a evolução desse novo produto e acreditamos ser algo promissor e de grande crescimento nos próximos anos.

Fonte:

https://www.bloomberg.com/news/articles/2018-07-19/crypto-heist-insurance-fat-premiums-lots-of-underwriting-risk

https://medium.com/@bitfinexnetworking/insurance-policy-now-available-for-bitcoin-exchanges-678693b534bf

https://www.ccn.com/insurance-giants-see-big-opportunity-in-cryptocurrency-storage-coverage

Deixe uma resposta